Como saber se a sua organização está pronta para a Gamificação

Com tanta competitividade no mercado atual, engajar os colaboradores na busca por melhores resultados é tarefa cada vez mais desafiadora. É claro que uma boa remuneração e os tão almejados bônus impulsionam esse movimento, mas não são os únicos fatores.

Cabe aos profissionais de educação corporativa trazer alternativas para que não apenas o dinheiro fale mais alto nessa hora. Uma delas é a gamificação, um recurso do LMS que considera todas as modalidades de treinamento, sejam on-line, presenciais ou híbridas. Ele é voltado ao estímulo para a disputa sadia entre funcionários, com o intuito de motivá-los e desenvolvê-los.

Mas sua empresa está preparada para tal prática? Você pode ter a melhor das intenções ao querer implementar os jogos corporativos no dia a dia, porém existem alguns pontos a se considerar nesse momento.

Neste artigo, vamos elencar alguns itens para você compreender de uma vez por todas se sua organização está pronta para “gamificar” os processos de desenvolvimento de pessoas. Continue a leitura e saiba mais!

Afinal, o que é gamificação?

Antes de detalharmos o tema central deste post, vale uma explicação breve e objetiva sobre o conceito da gamificação, ou gamification, como alguns também dizem.

A ideia é trazer para o ambiente do jogo e da disputa situações do cotidiano do trabalho, por meio de pontuações, rankings e recompensas (sejam elas físicas ou online). A gamificação é ambientada em plataformas de LMS (learning management system, ou sistema de gestão da aprendizagem).

A utilização dessas características do mundo dos jogos, como o feedback instantâneo, por exemplo, ajuda o engajamento no treinamento e criam uma sensação de autorrealização e motivação. Você propicia o lúdico para a rotina dos colaboradores, ensinando-os, motivando-os de uma forma simples, ágil e fluida.

As principais vantagens de implementar a gamificação na sua empresa são:

  • oferecer um ambiente de trabalho mais leve;
  • provocar a disputa sadia entre as pessoas;
  • estimular a produtividade em massa;
  • facilitar a integração de novos funcionários;
  • promover o engajamento aos propósitos da companhia.

Como saber se sua empresa está preparada para a gamificação

Em tese, tudo é muito bonito e, aparentemente, fácil. Porém, como saber se a estrutura da sua companhia e até mesmo os funcionários estão preparados para os jogos?

Tudo dependerá de infraestrutura, orçamento e, claro, da receptividade das pessoas diante dessa novidade. Por isso, a seguir listamos os principais pontos a se considerar.

Engajamento dos profissionais

Por que os jogos engajam milhares de pessoas? Porque as pessoas se identificam com o desafio, missões e o alcance de objetivos. Os jogos têm início e fim, portanto, usar o recurso da gamificação requer uma estratégia com regras para reconhecimento, expectativa de desempenho e fatores culturais como por exemplo a meritocracia. O maior desafio dessa implementação é se assegurar de que essas políticas estejam refletidas nas regras da gamificação. Os símbolos, prêmios, linguagem devem ser aderentes à cultura da empresa.

Para tanto, cabe ao departamento de T&D instruir os gestores das áreas a serem os facilitadores da ferramenta, mostrando que é um ponto importante tanto para o desenvolvimento individual como para os resultados macro da organização.

Ferramenta adequada

Sua empresa já possui uma plataforma de LMS? Se sim, contém o recurso da gamificação? A Konviva, por exemplo, já apresenta esses recursos de gamificação como padrão, o que facilita a sua implementação e, mesmo que ainda existam custos relacionados ao tempo de adequação da campanha e a um sistema de recompensas, os modelos de pontos, medalhas e leaderboards são rapidamente parametrizáveis.

Cultura de métricas e resultados

Sua empresa já acompanha o desempenho de profissionais e equipes com base em números? Ter essa cultura de coleta de dados e de resultados coletivos e individuais faz todo o sentido na hora da implementação da gamificação.

Ter (ou construir a partir dos jogos) técnicas, métodos e boas práticas de análise de desempenho ajuda bastante nesse sentido. Afinal, a gamificação é instrumento complementar da educação corporativa que precisa, necessariamente, estar pautada em métricas.

Então, deu para compreender um pouco mais sobre essa ferramenta tão atual e importante para que os profissionais de treinamento e desenvolvimento estejam alinhados com os objetivos e KPIs das empresas?

Conte para nós abaixo, no espaço de comentários, o que você já vem fazendo para sua organização engajar os colaboradores de forma inovadora. Até a próxima!

Se quiser saber mais sobre esse assunto, fale com a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *