Conheça a Metodologia 70/20/10

Você já ouviu falar da Metodologia 70/20/10? Trata-se de um modelo de aprendizagem voltado para a educação corporativa que une teoria e prática para tornar o processo mais prazeroso e efetivo.

A metodologia foi desenvolvida na década de 1990 pelos pesquisadores Morgan MacCall, Robert Eichinger e Michael Lombardo, do Center for Creative Leadership, na Carolina do Norte (EUA). Os três perceberam que a expansão da aprendizagem e o estímulo às novas experiências se dão a partir de diversas situações e que, para manter o interesse dos estudantes, é preciso usar diferentes abordagens.

Saiba mais sobre esse método, como utilizá-lo e quais as suas vantagens para a educação corporativa.

O que é a Metodologia 70/20/10

O modelo de aprendizagem proposto pela Metodologia 70/20/10 não descarta o ensino formal, mas inclui outras técnicas para dinamizar o processo e obter melhores resultados. Assim, as proporções se referem a:

  • 70% do conhecimento adquirido com a prática;
  • 20% do relacionamento com outras pessoas da área; e
  • 10% do aprendizado formal (sala de aula, livros, lições etc.).

Em outras palavras, os pesquisadores da Carolina do Norte descobriram, entre líderes de sucesso, que 70% do sucesso no aprendizado dos pesquisados vinha dos desafios práticos do dia a dia. Ao mesmo tempo, 20% é resultado da troca de experiências entre colegas de trabalho da mesma área. Apenas 10%, então, é aprendido com o ensino formal.

É importante que essas três abordagens estejam integradas para o sucesso de um programa de treinamento e desenvolvimento. A ideia é que as pessoas possam aplicar na prática o que aprenderam formalmente e, assim, adquirir novos conhecimentos, compartilhando-os com a equipe.

Como utilizar a Metodologia 70/20/10

A Metodologia 70/20/10 pode ser utilizada na educação corporativa de forma bastante eficaz. Para que você entenda melhor como aplicá-la, vamos dar um exemplo prático.

Digamos que o objetivo da empresa seja preparar um colaborador para assumir um cargo de liderança em pouco tempo. Considerando que esse profissional trabalha 40 horas semanais, veja como pode ser dividido esse treinamento:

  • 4 horas da semana dedicadas ao estudo formal, ou seja, cursos, leituras, participação em palestras e treinamentos corporativos;
  • 8 horas destinadas ao contato com seus superiores e aqueles que estão em cargos similares ao pretendido, com feedbacks, conversas abertas com quem será substituído por esse colaborador (às vezes essa pessoa está ganhando uma promoção também e pode ser bastante solícita);
  • 28 horas reservadas para o trabalho rotineiro com a incorporação de novas responsabilidades, permitindo que o profissional absorva a informação de que precisa na prática.

Vantagens para a educação corporativa

Para a maioria dos profissionais é natural aprender fazendo, ou seja, na prática. Assim, estabelecer um método que priorize essa abordagem só traz vantagens para os colaboradores e, consequentemente, para a empresa. Veja algumas delas.

DESENVOLVE A CRIATIVIDADE

Quem aprende fazendo tem mais oportunidades de encontrar soluções inovadoras para os problemas da empresa. Afinal, embora o profissional entenda a teoria, é na prática que surgem os desafios, os imprevistos, as situações incomuns. Ao lidar com cada uma delas, encontra formas diferentes e criativas de resolvê-las.

AUMENTA A MOTIVAÇÃO

Quando os colaboradores percebem que têm a oportunidade de aprender com a prática, se tornam mais motivados. Ou seja, se dedicam mais às tarefas, percebem a evolução pessoal, que seu esforço será recompensado, e isso se reverte em bons resultados para a empresa também.

AUMENTA A PRODUTIVIDADE

A consequência natural de ter funcionários motivados e criativos na solução de problemas é o aumento da produtividade. Ao aprender com a repetição, com o fazer do dia a dia, o colaborador tem mais chance de ser assertivo e cometer menos erros, evitando o retrabalho, que costuma ser a principal causa da redução da produtividade.

Essas são apenas algumas vantagens de se investir na Metodologia 70/20/10, mas existem muitas outras. Um colaborador que aprende dessa forma tem mais condições de gerenciar mudanças, cobrir colegas em férias e licença, encarregar-se de tarefas que vão além da sua função, aumentar a interação com a gestão, assumir atividades de liderança, atender diretamente o cliente etc.

Investir nessa metodologia dentro do programa de educação corporativa é muito importante e requer acompanhamento. É necessário que mecanismos de feedback, autoavaliação, programas de mentoria e mapeamento de competências estejam incluídos para que a metodologia funcione. Os resultados certamente serão positivos.

Se quiser saber mais sobre métodos de aprendizagem e como desenvolvê-los em sua empresa, siga-nos no Facebook e no Linkedin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *